Estado-da-Arte: pontos-chave na prevenção primária de doenças cardiovasculares (DCV) nas mulheres.

Updated: Jun 12


1. A DCV continua a ser a principal causa de morbilidade e mortalidade entre as mulheres.

2. Os fatores de risco únicos relacionados com o sexo feminino incluem condições associadas à gravidez, tais como distúrbios hipertensivos da gravidez, diabetes mellitus gestacional, parto prematuro e aborto. A restrição de crescimento intrauterino também tem sido associada ao aumento do risco de dislipidemia, resistência à insulina e disfunção diastólica.

3. Quando adicionados aos atuais modelos de predição de risco, as condições relacionadas com a gravidez (como a diabetes gestacional) não aumentam a precisão desses modelos. Isto pode dever-se à associação de fatores de risco relacionados com a gravidez associados aos fatores de risco tradicionais, que são incorporados nos atuais modelos de predição. No entanto, a identificação dessas condições relacionadas com a gravidez pode ajudar a identificar as mulheres mais jovens (com pontuações (scores) de baixo risco) para permitir uma monitorização e manejo mais precoce dos fatores cardiometabólicos, conforme necessário no início da vida de uma mulher.

4. A menopausa precoce, definida como menopausa antes dos 40 anos de idade, está associada ao aumento do risco de CVD. Nas guidelines (normas de orientação) do colesterol de 2018, a menopausa precoce foi incluída como um fator de aumento do risco.


5. A síndrome do ovário policístico (POS) está associada a fatores cardiometabólicos, que, por sua vez, estão associados ao aumento do risco de DCV. Estes fatores de POS incluem obesidade abdominal, controlo anormal da glicose e diabetes, pressão arterial elevada e dislipidemia.

6. As diferenças relacionadas com o sexo nos fatores de risco tradicionais são predominantes. A hipertensão é altamente predominante entre as mulheres, em particular as mulheres negras não-hispânicas, em comparação com outros grupos. A obesidade é um fator de risco forte para a hipertensão entre as mulheres. A restrição de sódio entre as mulheres pós-menopáusa com hipertensão pode ser particularmente benéfica. A diabetes é também um fator de risco particularmente forte para a DCV e a Insuficiência Cardíaca entre as mulheres.

7. Existem diferenças relacionadas com o sexo nos medicamentos para DCV. Para as mulheres em idade fértil, pode ser necessária a modificação dos medicamentos normalmente utilizados para o manejo de DCV e fatores de risco associados. Isto inclui a utilização de inibidores da enzima conversora de angiotensina/bloqueadores de recetores de angiotensina ou estatinas, que não são recomendados se a gravidez for planeada ou ocorrer. Para muitas mulheres com fatores de risco cardiovasculares (CV) ou DCV, a prescrição de medicamentos baseados em evidência é muitas vezes menos provável de ocorrer em comparação com homens com fatores de risco semelhantes ou condições de CV. Por último, as diferenças na eficácia dos medicamentos podem diferir por sexo.



8. As mulheres correm um maior risco de acidente vascular cerebral (AVC) na definição de fibrilhação auricular em comparação com os homens. As guidelines (normas) também recomendam novos anticoagulantes para as mulheres como a primeira escolha para a anticoagulação, dada a evidência de menor risco de hemorragia em mulheres que tomam um novo agente em comparação com os antagonistas de Vitamina K. As orientações de 2019 foram revistas para recomendar a anticoagulação para mulheres com uma pontuação CHA2DS2-VASc de ≥3 (recomendações anteriores foram para ≥2).

9. Não existem recomendações para o uso da terapêutica hormonal da menopausa para a prevenção de DCV neste momento. Evidências de longa data sugerem que não beneficie de um risco acrescido para as mulheres quando a terapia hormonal é usada. No entanto, os investigadores têm e continuam a investigar o potencial de uma "hipótese de tempo" em que a terapia hormonal pode ser benéfica (relacionada com o risco de CV) entre as mulheres mais próximas do início da menopausa. Recomenda-se aos fornecedores que revejam o perfil do fator de risco de cada mulher e proporcionem uma discussão personalizada e partilhada sobre a tomada de decisões quando a terapia hormonal da menopausa é considerada, mesmo entre as mulheres perimenopausa mais jovens.

10. Fatores psico-sociais como a depressão, a ansiedade e o stress emocional agudo ou crónico são frequentemente observados como sendo mais predominantes entre as mulheres em comparação com os homens. Dada a associação entre estes fatores e o risco de CVD, recomenda-se aos prestadores que identifiquem e ajudem na gestão de tais fatores como parte da prevenção do CVD.


#Cardiologia #Saude #MedicinaPreventiva #Blog #DoençasCardiovasculares


Adaptação do colégio americano de cardiologia.

Subscreva a newsletter. Contacte-nos! Partilhe.


Hilaryano Ferreira

46 views

Contact Us

Tel: +351961099955; +351215898575

Email: eurekamedical@icloud.com

Book a Consultation

Subscribe to Our Newsletter

Payment methods 

  • LinkedIn - White Circle
  • Instagram - White Circle

©2020 Eureka Medical.  All rights reserved. 

  • Black LinkedIn Icon
  • Instagram
Eureka-Medical-Lda.png
0